Postagens

Guerra comercial: visando liderança global, EUA e China não devem recuar.

Imagem
Uma delegação chinesa chega nesta quarta-feira (22) em Washington para discutir com autoridades norte-americanas a respeito das sobretaxas impostas sobre os produtos da China. Os dois países visam a liderança global, mas os membros republicanos do Congresso temem que a guerra comercial de Trump atrapalhe suas candidaturas à reeleição em novembro, especialmente se atingir as empresas dos EUA. Donald Trump e Xi Jinping em Pequim, Novembro de 2017.Fred DUFOUR / AFP O presidente norte-americano Donald Trump afirmou na segunda-feira (20) que não espera muito do diálogo – e ele provavelmente está certo. As negociações com a China devem ter um avanço mínimo após as reuniões desta semana. É a primeira vez em dois meses que representantes das duas nações vão se encontrar para tratar do impasse comercial. Apesar da China ter dito que espera bons resultados, parece que nenhuma das partes está realmente apostando nisso, pois não estão enviando pesos-pesados para essa rodada de conversas. O princip…

As 7 cidades mais populosas do mundo em 2100.

Imagem
Direito de imageTY IMAGES
Image captionSegundo estudo, a cidade de Lagos, na Nigéria, será a mais populosa do mundo em 2100
Nas últimas décadas o mundo viu cidades e regiões metropolitanas ficarem tão grandes a ponto de ultrapassarem alguns países quando se comparam suas populações ou mesmo sua riqueza. Apocalípticas ou distópicas, submersas pelo mar ou cheias de carros voadores… não importa como você imagina os centros urbanos no futuro, mas o certo é que a velocidade com que a população cresce em alguns deles vai mudar a geografia do planeta. Um estudo recente aponta que as regiões metropolitanas que hoje são as mais populosas do mundo não devem permanecer no topo do ranking no ano de 2100. A projeção foi feita pelos pesquisadores Daniel Hoornweg, da Universidade de Ontário, no Canadá, e por Kevin Pope, da Universidade Memorial da Newfoundland, no mesmo país. Tóquio, por exemplo, atualmente é o centro metropolitano mais populoso do mundo, com 36 milhões de habitantes. O estudo aponta…

Trump ameaça paralisar o Governo se democratas não financiarem muro com o México.

Imagem
Presidente retoma a chantagem em assuntos imigratórios, que poucos resultados lhe trouxe até agora.
O presidente Donald Trump retoma sua tática favorita, que no entanto quase nunca deu certo para ele: chantagear a oposição democrata para obter a aprovação de políticas de pulso firme contra a imigração. O presidente norte-americano disse neste domingo, 29, que estaria disposto a forçar uma paralisação orçamentária do Governo federal, a partir de 1º. de outubro, se os democratas não aprovarem a construção de um muro na fronteira com o México e outras medidas de restrição à imigração legal e irregular. Os republicanos têm maioria no Senado, mas necessitam do apoio de pelo menos nove democratas para aprovar leis orçamentárias, o que enfurece Trump sobremaneira. Uma paralisação da Administração implica que não há recursos para os serviços não essenciais, e muitos funcionários públicos param de trabalhar. Trump num ato na quarta-feira na Casa BrancaJOSHUA ROBERTS REUTERS.
“Estaria disposto a f…

O que se sabe sobre a suspeita de que a Coreia do Norte esteja trabalhando em novos mísseis?

Imagem
Direito de imagemKCNAImage captionA Coreia do Norte realizou uma série de testes de mísseis de longo alcance em 2017. A Coreia do Norte estaria construindo novos mísseis balísticos, apesar da recente aproximação com o governo Trump. É o que afirmam reportagens publicadas pela imprensa internacional. De acordo com o jornal The Washington Post, que ouviu autoridades da inteligência americana sob anonimato, satélites espiões detectaram atividade contínua em uma unidade de produção de mísseis norte-coreana. A agência de notícias Reuters cita, por sua vez, uma fonte que alerta para o fato de não estar claro até que ponto o trabalho foi feito. Em junho, o presidente Donald Trump se reuniu com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, em Cingapura. Foi o primeiro encontro entre um presidente americano e um líder norte-coreano. Após a reunião, ambos se comprometeram a trabalhar pela desnuclearização. Trump chegou a dizer que a Coreia do Norte "não é mais uma ameaça nuclear". Mas o preside…

“A 13ª Emenda” revela como o sistema penitenciário dos EUA perpetua a escravidão.

Imagem
A escravidão nos EUA tecnicamente acabou há 150 anos. Mas Ava DuVernay, diretora de ‘Selma: Uma Luta pela Igualdade’, quer que você dê mais uma olhadinha na emenda à Constituição que a aboliu. Seu documentário, “A 13ª Emenda”, é uma visão poderosa sobre como o sistema presidiário dos dias de hoje tem elos com a escravidão. O filme, que estreou na Netflix e em alguns cinemas seletos na sexta-feira, oferece uma mensagem bastante atual e comovente, tendo saído neste espaço de tempo entre o movimento Black Lives Matter e as eleições por vir. “A 13ª Emenda” foi aplaudido de pé na semana passada no New York Film Festival, onde se tornou o primeiro documentário a abrir o prestigioso evento. O título se refere à 13ª emenda à Constituição dos EUA, que aboliu a escravidão formalmente. Mas DuVernay concentra suas atenções na execução da cláusula da emenda, que declara que a escravidão e a servidão involuntária são ilegais, “exceto como castigo por um crime”. Numa entrevista ao The Washington Pos…