sábado, 11 de fevereiro de 2012

Aprovada em 5 faculdades afirma que estudar todas as matérias com a mesma dedicação é a fórmula para o sucesso no vestibular .


O ano começou bem para a estudante Paula Malvezzi. Depois de passar 2011 totalmente dedicando-se aos estudos, seu esforço foi recompensado com a aprovação no curso de Medicina. A garota passou em cinco universidades, todas públicas: USP, Unesp, Unicamp, Unifesp e UFCSPA (Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre).
“Foi uma surpresa para mim. Não imaginava que iria entrar em tantas faculdades. Tá certo que estudei bastante, mas você nunca acha que sabe o suficiente para conseguir passar”, comenta a estudante. 


E Paula estudou mesmo. Durante o ano passado inteiro ela manteve seu foco totalmente voltado para isso. De segunda a sexta assistia, pela manhã, as aulas do cursinho pré-vestibular, almoçava e só parava de estudar às 21h. “Todo dia eu revisava a matéria que tinha tido na aula. Eu até queria estudar mais, mas com o tempo você vai percebendo que não dá”, diz.

Sua tática de estudo ia além da resolução de exercícios. A estudante também adotou a prática de fazer resumos das matérias, principalmente aquelas que ela tinha mais dificuldade, como as de humanas. “Fiz muito resumo e fichamento do conteúdo de história e geografia. Era uma maneira de fixar melhor o conteúdo da matéria”, explica.


Além de tudo isso, sempre que podia, Paula resolvia provas antigas dos vestibulares que ia prestar. “Eu pegava as provas dos anos anteriores e fazia como se fosse de verdade, com tempo marcado e tudo. Isso é muito importante pra conhecer o estilo da prova. Ter feito isso foi essencial, principalmente para o vestibular da Unifesp”, conta a estudante. A garota também não deixou de fazer nenhum simulado aplicado no cursinho: “fazia um a cada 15 dias”, diz.



“Passar em Medicina é humano”
“Eu estudei muito, mas hoje sei que passar em Medicina não é impossível, é humano. As pessoas acham que você precisava gabaritar o vestibular, mas é normal não saber responder uma ou outra questão na hora da prova”, comenta Paula. Pode parecer besteira, mas a estudante sabe do que está falando.



Mesmo com tanto estudo, Paula conta que deixou questões em branco em alguns vestibulares. “Na Unicamp, por exemplo, não respondi a prova toda, não tive tempo. Foi um misto de não saber de bate-pronto a resposta e não ter tempo suficiente para pensar. Na Unesp também tive problemas, afinal a prova cobrava muito humanas, que eu vou mal”, explica.



Mas Paula avisa, não adianta achar por não ser impossível, tudo bem relaxar nos estudos. Pelo contrário, ela garante que tem que estudar muito para conseguir um bom resultado no vestibular. E, para isso, ela da algumas dicas. “Acho importante que o estudante não despreze nenhuma matéria, nem as que eles têm mais facilidade. Comece a estudar como se não soubesse de nada porque ter a base é fundamental. Ela vai ajudar na hora de responder as questões, principalmente as mais difíceis”, aconselha.



Ler jornais e revistas também pode ajudar. “Eu não lia todos os dias, mas sempre que podia olhava os jornais e a revista Veja. Acho que é bastante importante, não só para a redação, me ajudou bastante também para questões de atualidades”, diz Paula.
Fonte: Guia do Estudante Abril.

Nenhum comentário:

Postar um comentário