quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Guerra afegã deixa 400 refugiados por dia, revela Anistia Internacional.


O conflito no Afeganistão faz com que 400 pessoas tenham de abandonar suas casas por dia e procurar abrigo em acampamentos, informou nesta quinta-feira (23/02) a Anistia Internacional, que estimou em 500 mil os afegãos afetados pela guerra.
A organização apresentou nesta quinta-feira o relatório da situação dos refugiados do Afeganistão, no qual retrata as difíceis condições de vida dos moradores do conflito no país.
"Meio milhão de afegãos deslocados pela disputa estão tentando sobreviver em abrigos provisórios, abandonados por seu governo, enquanto os observadores internacionais olham para o outro lado", expressou a organização em comunicado.
De acordo com a AI, nos arredores de Cabul vivem 35 mil pessoas divididas em 35 acampamentos, e neles morreram pelo menos 28 crianças durante o inverno, devido às duras condições climáticas.
"Este povo está à beira da inanição e o governo não só vira as costas, como impede a chegada de ajuda", denunciou em nota a pesquisadora da organização Horia Mosadiq.
"Os funcionários locais restringem a chegada de ajuda porque acreditam que essas pessoas vão embora. Esta é uma crise dos direitos humanos e humanitária quase velada, mas aterrorizante", acrescentou Horia.
Quase 100 mil afegãos foram obrigados a deixar suas casas nos seis primeiros meses de 2011, conforme cálculos da AI. A organização pede que o governo proporcione refúgio, comida, água e cuidado sanitário aos refugiados, solicitando, se necessário, ajuda internacional.
A organização também pede às autoridades que garantam proteção e educação às crianças refugiadas e identifiquem a população que vive nos acampamentos. Além disso, pede aos talibãs que permitam a entrada de ajuda humanitária nas áreas sob seu controle.
A guerra afegã se intensificou nos últimos anos e só em 2011 deixou 3.021 mortos, conforme último relatório da UNAMA (missão da ONU no Afeganistão), frente aos 2.790 registrados em 2010.
O relatório especifica que 77% das mortes foram causadas por ataques talibãs, 14% em operações de forças do governo e aliadas, e os 9% restantes não foi de responsabilidade de nenhum dos dois lados.
Atualmente há mais de 100 mil soldados no Afeganistão procedentes de 40 estados por causa da invasão do país em 2001, que acabou com o regime talibã após o ataque da Al Qaeda às Torres Gêmeas de Nova York.
Fonte: Opera Mundi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário