segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Hoje na História : 1944 – Embarcação nazista afunda na Noruega.


No dia 20 de fevereiro de 1944, um domingo, o ferry-boat SF Hydro explode e afunda com seus tripulantes e carga no lago Tinn, no condado norueguês de Telemark.
WikiCommons
Imagem do lago Tinn, na Noruega.
Knut Haukelid, integrante da resistência norueguesa, era o único comando da região quando foi informado que os alemães planejavam transferir o estoque de água pesada para a Alemanha. Ele organizou um grupo para então sabotar a embarcação que iria transportar os tambores através do Lago Tinnsjo. Reconhecendo um tripulante do ferry-boat, aproximou-se para conversar. Aproveitando a distração do tripulante, os sabotadores conseguiram instalar 8,5 quilos de explosivo plástico na quilha do ferry. Logo após a meia-noite, a embarcação, quatro alemães e 14 noruegueses, submergiam em águas profundas.
A notícia passa desapercebida num mundo tomado pelos terríveis rugidos da Segunda Guerra Mundial. a "batalha da água pesada" não seria o derradeiro episódio de um longo conflito entre os serviços secretos aliados e os militares alemães.
No começo dos anos 1990, o carregamento é trazido à superfície e analisado. Surge então a confirmação da presença de tambores de óxido de deutério, indispensável à construção de uma bomba atômica. Por falta de tempo, os nazistas haviam perdido a chance de construir essa arma.
Ainda antes da eclosão da guerra, na década de 1930, cientistas desenvolveram o princípio da fissão nuclear, origem da bomba atômica: um primeiro núcleo de urânio, bombardeado por um nêutros, se rompe; libera a energia de dois nêutrons, que, por sua vez, vão bombardear outros núcleos de urânio. A reação em cadeia gera uma energia elevadíssima. Para ser eficaz, contudo, a fissão deve, todavia, ter sua velocidade reduzida por um "retardator", que pode ser grafite ou água pesada.
Os alemães estavam estudando e trabalhando a fissão nuclear da mesma forma que os norte-americanos. Os cientistas germânicos haviam feito a escolha pela «água pesada» como retardador. A substância vinha sendo produzida com exclusividade desde 1935 na usina Norsk Hydro, em Vemork, na Noruega.
Tratava-se de uma empresa que atuava na produção de alumínio, especializada na produção de fertilizantes artificiais. Em 1927, a Norsk Hydro criou uma joint-venture com a empresa alemã IG Farben para poder ter acesso ao processo de produção de fertilizantes.
Para produzir amônia em escala industrial, a Norsk Hydro montou uma hidroelétrica em 1933. Ali a amônia era produzida a partir da eletrólise da água, mas análises químicas revelaram a presença de água deuterada numa concentração de 1/2300. Leif Tronstad, do Instituto Norueguês de Tecnologia, e Jomar Brun, diretor da planta, propuseram em 1933 que a água pesada fosse separada, para emprego em um projeto, o que foi aceito pela Norsk Hydro.
Desde então, os Aliados trataram de impedir a todo custo que os alemães se apoderassem da usina e de seu precioso líquido. Seus serviços secretos, em colaboração com os noruegueses, lançariam não menos do que cinco operações diferentes antes de atingir seu objetivo.

Fonte: Opera Mundi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário