sexta-feira, 2 de março de 2012

Hoje na História: 1820 - Senado dos EUA firma compromisso e tranquiliza polêmica sobre a escravidão


No dia 2 de março de 1820, o Senado dos EUA firma um compromisso idealizado pelo senador de Kentucky, Henry Clay, tranquilizaria temporariamente as divergências sobre a questão da escravatura. Ele ficou conhecido na história como o "Grande Pacificador".

Em virtude desse compromisso, um novo estado anti-escravagista é inaugurado. O Maine resultaria da separação de Massachusetts e buscava um contraponto ao Missouri.

De resto, convencionou-se que os futuros estados que fossem criados na antiga Louisiânia seriam escravagistas ou abolicionistas segundo sua localização ao sul ou ao norte do paralelo 36° 30', fronteira sul do Missouri.

Este compromisso tranquiliza as tensões durante três décadas. Contudo, as divergências de interesses econômicos e políticos entre o Norte e o Sul, bem como as questões de princípio, terminam por fazê-las ressurgir mais vivas que nunca. Iriam desembocar na guerra civil que engolfou todo o país, a Guerra de Secessão (1861-1865).

WikiCommons

Histórico da tensão

Em 1793, no sul dos EUA, Eli Whitney inventa uma máquina capaz de separar a semente do algodão de sua fibra. O novo descaroçador permitia mecanizar a fiação do algodão e rebaixar o preço da preciosa fibra.

Pouco depois, por uma feliz coincidência, o fim das Guerras Napoleônicas restabeleceu a prosperidade na Europa e o período de paz acarreta um rápido crescimento da demanda de tecidos em algodão. As manufaturas inglesas recorrem então aos EUA para importar a valiosa fibra. O algodão logo substitui o tabaco como a principal fonte de riqueza no sul do país.

Todavia, sua colheita exige muita mão-de-obra e os ricos fazendeiros sulistas passam a comprar mais e mais escravos provenientes da África.

Como a cultura do algodão esgotava rapidamente os solos, os plantadores precisaram, por outro lado, buscar novas terras pelo oeste. Foi assim que três novos estados do sul, Louisiânia, Mississippi e Alabama, pedem e obtém o direito de praticar a escravidão.

Em 1818, sob a presidência de James Monroe, um território da antiga colônia francesa da Louisiânia, o Missouri, onde já viviam dois mil escravos, torna-se o 23º estado dos EUA. Solicitaram, assim, o direito de praticar também a escravidão.

Os representantes dos estados do norte, que não toleravam a sobrevivência da escravidão na jovem democracia norte-americana, julgaram que era demais.

No Senado, em Washington, o equilíbrio precário entre os onze estados escravagistas do sul e os onze estados abolicionistas do norte estava pendendo em favor dos primeiros, apesar de menos povoados.

Fonte: Opera Mundi.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário