sábado, 18 de maio de 2013

Assembleia da Alba reúne organizações de 22 países em São Paulo.


Movimentos sociais e de trabalhadores de 22 países da América Latina e Caribe se reúnem, desde a quinta-feira (16) na Escola Nacional Florestan Fernandes, do Movimento dos Trabalhadores/as Rurais Sem Terra (MST), em Guararema (SP), para participar da I Assembleia Continental de Movimentos Sociais para a Aliança Bolivariana para nossas Américas (ALBA). 


Foto: MST
Assembleia da Alba
Sob o lema "A unidade e integração de Nossa América estão em nosso horizonte e são nosso caminho", o encontro segue até a segunda (20). 





















  

Sob o lema " A unidade e integração de Nossa América estão em nosso horizonte e são nosso caminho", o encontro, que segue até a próxima segunda-feira (20), tem o objetivo de reunir os movimentos populares para avançar em sua articulação inspirada nos princípios e objetivos da Alba.

Durante o encontro, os movimentos se articulam na perspectiva de continuar consolidando em todo o continente a mobilização, a formação, a comunicação e a solidariedade para avançar na luta contra a militarização e a criminalização do protesto social; na batalha contra as transnacionais e processos de privatização; na defesa dos direitos da mãe terra e do bem viver e na solidariedade internacional.

A ideia é que os participantes de países como Cuba, Haiti, Honduras, Colômbia, Venezuela, Peru, Bolívia, Chile, Argentina, Uruguai e Brasil assumam a tarefa de ajudar a construir, desde a base, a unidade entre os povos da América Latina e Caribe. Esta Assembleia consolida a história de construção dos povos nos últimos cinco anos.

"Reafirmamos a necessidade de impulsionar uma nova ação de independência latino-americana, dos povos e para os povos, por uma integração popular, pela vida, pela justiça, pela paz, pela soberania, pela identidade, pela igualdade, pela liberdade da América Latina, por uma autêntica emancipação, que tenha o socialismo em seu horizonte”, expressa a Articulação de Movimentos para a Alba, enfatizando a atuação de organizações populares em outros eventos com foco em construir um projeto de vida dos povos, frente aos sistemas capitalista, imperialista e patriarcal.

Fonte: Adital e Portal Vermelho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário